Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

Como a superdotação em crianças é vista pela sociedade?

20/04/2018 em NOTÍCIAS
Reunião do comitê de Recursos Humanos contou com palestra de Rosangela Cabral, do Instituto Rogério Steinberg, para debater a questão
O encontro do comitê de Recursos Humanos da AmCham Rio incentivou a reflexão sobre um tema que não é discutido com frequência: a superdotação em crianças. Rosangela Cabral, gerente executiva do Instituto Rogério Steinberg, apresentou as atividades do IRS com crianças que possuem altas habilidades e se encontram em situação de vulnerabilidade econômica e social. A reunião aconteceu na última quarta, 18 de abril, na sede da Câmara.

Com missão de "despertar e desenvolver talentos para transformar vidas", a instituição atua há 20 anos nas comunidades do entorno da Zona Sul do Rio de Janeiro. Atualmente, 362 jovens são beneficiados. Rosangela acredita que “talento só se concretiza por meio de oportunidades e esforço pessoal”, frase constantemente reforçada com a equipe.

Para Cláudia Danienne, líder do comitê, o objetivo da participação do instituto foi estimular os presentes a pensar “out of the box”. Segundo ela, é necessário trazer proposições sobre “o que a gente pode contribuir, colaborar e expandir nossas redes em prol de causas nobres”.

Nadia Stanzig, gerente executiva da Câmara, ressaltou a importância de pensar a questão do capital humano, com destaque para todo o processo de ingresso dos jovens no mercado de trabalho e a oferta de oportunidades para seu crescimento. "A proposta da AmCham Rio, com os comitês, é trazer temas que agregam valor", disse.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a proporção de pessoas com altas habilidades varia entre 3% a 5% da população de um país, número considerável quando analisado o contingente populacional em sua totalidade. Para Rosangela, é preciso que essa pauta seja cada vez mais debatida, uma vez que, se não for dada atenção especial aos jovens superdotados, seu potencial pode ser perdido.

A falta de conhecimento sobre a questão é vista por Rosangela como um problema grave. Em escolas que não reconhecem a superdotação, as crianças são encaminhadas para psiquiatria e medicadas sem necessidade, pois, segundo ela, “somente o psicólogo pode atestar a superdotação”.

O Instituto trabalha sua metodologia em três práticas teóricas: Teoria das Inteligências Múltiplas, de Howard Gardner; Teoria de Altas Habilidades, de Joseph Renzulli e Teoria do 5'Cs, de Richard Lerner.

Gardner defende que as características humanas de superdotação se dividem em oito categorias: intrapersonal, naturalista, corporal-cinestésica, verbal-linguística, lógico-matemática, visual-espacial, musical e interpersonal. Já Renzulli acredita em um modelo de três anéis. Para atingir a superdotação, é preciso que se tenha uma habilidade acima da média, combinada com motivação e criatividade. Lerner, por sua vez, analisa o desenvolvimento positivo do jovem a partir de uma autoavaliação em cinco tópicos, como caráter, confiança, conexão, competência e compaixão.

A atuação do instituto traz ao problema uma solução a longo prazo, pois funciona como uma educação complementar e estimula nas crianças o pensamento crítico. Por meio de uma interação com 72 escolas municipais e estaduais, leva sua equipe que trabalha, junto ao corpo docente, na identificação dos alunos com indícios de superdotação. Após isso, é realizado um processo seletivo que analisa caraterísticas importantes nos participantes, entre elas o índice socioeconômico.

Entre as atividades oferecidas, estão oficinas de criação, codificação, empreendedorismo, robótica e estímulo intenso à leitura, além de bolsas para estudar inglês. “Nós temos crianças que leem por ano 78 livros”, disse Rosangela. Para ela, é preciso pensar a questão do abismo social gerado pela desigualdade: “quando essas crianças estão em comunidades, como se dá o tratamento? ”, indagou.

Cláudia finalizou a reunião lembrando aos presentes sobre a 4ª edição do People Connections, prevista para junho deste ano. O evento traz essa temática da busca pela inovação na gestão de pessoas.

Veja as fotos do encontro: http://bit.ly/reuniaoRH
Agenda

mantenedores

OURO

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.