Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

Comitê de Petróleo e Gás recebe ANP para diálogo sobre PD&I

26/11/2018 em Evento
Alfredo Renault, superintendente de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da agência reguladora apresentou perspectivas para o aprimoramento da regulamentação
Banco de Imagens AmCham Rio
Um dos temas prioritários do Comitê de Petróleo e Gás da AmCham Rio é o aprimoramento da regulamentação de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). Em decorrência disso, na última quarta-feira, dia 21 de novembro, os membros se reuniram com Alfredo Renault, superintendente de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para um diálogo sobre modificações da norma que é definida por cláusula e rege os contratos de exploração e produção de petróleo.

Ana Lopes, líder do comitê e diretora de Relações Governamentais e Públicas da Chevron Brasil esteve presente na ocasião e reforçou a importância da participação no Comitê para manter a troca sinérgica de informações entre empresas do segmento. Participaram do encontro, representantes de organizações como, IBM, BHGE, BP Energy, Ocyan, TechnipFMC, Petrobrás, FGV Energia, entre outras.

Inicialmente regimentada pela resolução nº 33/2005 com o objetivo de definir normas para a realização de investimentos, foi modificada pelo regulamento Técnico da ANP nº 3/2015, que estabelece novas diretrizes para a aplicação destes recursos em PD&I para os contratos de Concessão, Cessão Onerosa e Partilha da Produção. Além de reformular as regras para comprovação das atividades e despesas realizadas pelas empresas em cumprimento às referidas cláusulas contratuais.

Assim que assumiu a superintendência, Alfredo Renault buscou dialogar com todos as partes interessadas para receber as contribuições do setor privado. Parte das alterações sugeridas e a serem implementadas pela ANP, são oriundas do documento de posicionamento elaborado pela AmCham Rio, sob chancela do Comitê de Petróleo e Gás. Cujo objetivo do conteúdo apresentado é o aprimoramento das regras de investimento em PD&I, um importante instrumento para tornar a indústria mais inovadora e capaz de competir com mercados internacionais.

Em sua apresentação, o superintendente discorreu sobre as ações já implantadas e alterações previstas para o primeiro semestre de 2019. “O caminho da PD&I foi um consenso ao revés, existiu uma visão comum de que ela precisava ser profundamente alterada e estamos caminhando em direção de desfazer as “amarras” para um desenvolvimento positivo”, pontuou.

Renault ponderou sobre as regras que exigem que ao menos metade dos investimentos em PD&I são direcionadas para universidades e institutos de pesquisa, onde as petroleiras deslocam parte de seu compromisso obrigatório para empresas de base tecnológica, mas, que na visão das operadoras existe uma baixa relação entre as universidades, operadoras e fornecedores. Para atender as demandas do setor, o especialista ressaltou que a agência reguladora está trabalhando com foco no progresso, visando superar desafios. “A ANP cumpriu um conjunto de ações ao longo desse período, buscamos trazer um novo ciclo de desenvolvimento para o setor petrolífero e com isso a PD&I entrou para a agenda de prioridades com uma relevância mais diferenciada. Não faltam desafios e queremos enfrentá-los, principalmente pelo estabelecimento da prioridade às empresas na utilização desses recursos”, informou o especialista.

Durante sua colocação, o especialista também defendeu que o PD&I é visto pela agência reguladora como um fator de competitividade. A seu ver a inovação não resolverá o problema da competitividade do país como um todo, mas pode contribuir como peça chave para a competir com o mercado externo, que é a premissa da cadeia fornecedora. “Nossa tentativa é mudar a rota voltada para o mercado interno e traçar a da integração competitiva externa”, declarou.
Finalizando seu discurso, Alfredo apresentou uma nova perspectiva para o setor, que para ele, está em tempos de retomada dos investimentos e apontou novas iniciativas para 2019. “Estamos trazendo uma tentativa de descomplicar o regulamento, acredito que a derivada está positiva e isso é um passo necessário nessa etapa de mudanças. Esperamos em 2019 dar um outro salto nesse ciclo de renovação da regulamentação da PD&I”, concluiu.

Dando continuidade à reunião, Nadia Stanzig, gerente executiva da AmCham Rio e Fabro Steibel, diretor executivo do ITS Rio (Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio) apresentaram a nova iniciativa da entidade, fundamentada na metodologia ‘Smarter Crowdsourcing’ – desenvolvida pelo Govlab da New York University, com foco em desenvolver soluções e consenso para problemas complexos que envolvem políticas públicas para o setor — que pode ser aplicada em outros segmentos. Segundo Steibel, o procedimento funciona sob cinco questões-chaves, onde são consultados especialistas para solucionar problemas a fim de elaborar respostas para processos específicos. “É um compilado de boas ideias e boas práticas”, completou Fabro. Com esta iniciativa, a entidade pretende apoiar a ANP na fase II de aprimoramento do regulamento e apresentar um documento de consenso com as experiências e pleitos dos principais stakeholders da cadeia produtiva.

Por fim, os membros definiram as próximas datas para as reuniões de 2019, sendo a primeira prevista para a última semana de janeiro. As reuniões de comitês e subcomitês da Câmara são um espaço de troca com os mais diversos especialistas em conversas exclusivas para as empresas associadas. Acompanhe os próximos passos desse e outros grupos nos canais de comunicação da AmCham Rio.

Confira as fotos da reunião aqui: https://www.flickr.com/photos/amchamrio/albums/72157700681555192
Agenda

mantenedores

OURO

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.